quinta-feira, 30 de setembro de 2010

ELEIÇÕES 2010

Brasileiro, Brasileira!

Esta época nos faz refletir sobre o momento ímpar de poder cidadão que tenhos. Não podemos desperdiçar ou menospresar este momento.
Conhecer a história dos candidados (ficha limpa é quisito básico), observar as propostas dos candidados, assistir aos debates em várias emissoras diferentes, ler jornais diferentes... Na página do TSE tem muitas coisas que deveríamos ler e prestar atenção para iniciar uma educação política individual.
É até possível fazer uma simulação de votação :
http://www.tse.gov.br/internet/eleicoes/urna_eletronica/simulador_Votacao_2010/br.htm

Bom voto para nós!!!

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

O MUNDO TEM MILHÕES DE FAMINTOS

925 milhões de pessoas estão cronicamente famintas no mundo
FONTE: SITE DA FAO

Tradução: Funivale

2010/09/14 Apesar dos progressos, a fome no mundo "inaceitável" 


Foto: © FAO / Giulio Napolitano 

A cada seis segundos uma criança morre de fome.
14 setembro de 2010, Roma - FAO e do Programa Alimentar Mundial (PAM) anunciou hoje que o número de pessoas famintas no mundo é inaceitavelmente alta, apesar dos avanços recentes deverá ser localizado a figura abaixo de um bilhão.
A nova estimativa sobre o número de pessoas que sofrem de fome crônica este ano é de 925 milhões: 98 milhões a menos em comparação com os 1,023 bilhões calculados em 2009.
"Mas com uma criança que morre a cada seis segundos, devido a problemas relacionados com a desnutrição, a fome continua a ser a maior tragédia e maior escândalo do mundo", disse o director-geral da FAO Jacques Diouf. "É absolutamente inaceitável", acrescentou.
A permanência de um elevado nível de fome no mundo também "faz com que seja muito difícil de alcançar não só a primeira Meta de Desenvolvimento do Milénio (ODM), mas também os outros ODM", advertiu Diouf.
"A realização da meta internacional de reduzir a fome está seriamente ameaçada", disse o chefe da FAO, observando também que os recentes aumentos nos preços dos alimentos, se continuar, pode prejudicar os esforços para novas reduções no número de pessoas fome no mundo.
"A ação firme e urgente por parte dos países do mundo e tem sido eficaz para travar a escalada do número de pessoas que passam fome", disse o Diretor Executivo Josette Sheeran. "Mas não é o momento de baixar a guarda. Temos que manter a fome sob controle para garantir a estabilidade e proteger as vidas ea dignidade das pessoas, disse Sheeran.
relatório principal
A nova figura sobre a fome está incluída no relatório principal anual "O Estado da Insegurança Alimentar no Mundo 2010" (SOFI, por sua sigla em Inglês), a ser publicada conjuntamente pela FAO e do PAM em outubro próximo . O valor foi anunciado na véspera da cúpula a ser realizada de 20 a 22 de Setembro em Nova York para acelerar os progressos no cumprimento dos Objectivos do Milénio (ODM), o primeiro dos quais visa acabar com a fome e pobreza.
Diouf em maio passado lançou uma campanha billionhungry (Bilhões de fome), destinada a encorajar os líderes mundiais a agir com urgência e determinação para acabar com a fome. Mais de meio milhão de pessoas já assinaram uma petição online pedindo aos políticos para colocar a redução da fome como prioridade principal. Ele espera reunir um milhão de assinaturas até o final deste ano.
Yukiko Omura, Vice-Presidente do FIDA, por sua vez disse que "o mundo sem fome são apenas um número. Eles são pessoas, homens e mulheres pobres lutam para criar os filhos e oferecer-lhes uma vida melhor, jovens que tentam construir um futuro. É irônico que a maioria deles realmente vivem em áreas rurais dos países em desenvolvimento. Além disso, mais de 70 por cento das pessoas em extrema pobreza pessoas que vivem com menos de um dólar E.U.. UU. um dia, viver em áreas rurais. Eles são um bilhão de pessoas e de quatro de cada cinco são os agricultores, de uma forma ou de outra.
O crescimento econômico ea redução dos preços
O menor número de pessoas famintas no mundo em 2010 resulta essencialmente do crescimento económico esperado para este ano renovada, particularmente nos países em desenvolvimento ", eo declínio nos preços dos alimentos desde meados de 2008. O recente aumento dos preços dos alimentos, se sustentado, pode criar barreiras para uma maior redução da fome.
Dos oito Objetivos do Milênio formalmente reconhecido pelas Nações Unidas em 2000, o ODM 1 concordaram em reduzir pela metade a proporção de pessoas famintas 20-10 por cento em 2015. No entanto, cinco anos após este período, a percentagem é actualmente de 16 por cento.
Anteriormente, em 1996, a Cimeira Mundial da Alimentação teve definido para a primeira vez que a meta quantitativa de reduzir para metade o número de pessoas com fome de cerca de 800 milhões de euros em 1990-1992, havia cerca de 400 milhões até 2015. Alcançar esta meta seria reduzir o número de famintos em mais de 500 milhões de euros durante os próximos cinco anos.
problema estrutural
O fato de que, historicamente, o número de pessoas subnutridas continua a aumentar, mesmo em períodos de crescimento económico elevado e preços relativamente baixos, indicam que a fome é um problema estrutural, segundo a FAO. Portanto, é evidente que o crescimento econômico, embora essenciais, não será suficiente para eliminar a fome no tempo aceitável, diz a Organização das Nações Unidas. "Mas há histórias de sucesso em África, Ásia e América Latina", disse Diouf. É preciso repetir e ampliar estas experiências.
Globalmente, o número de famintos até 2010, uma diminuição de 9,6 por cento em relação ao nível de 2009. Esta redução está concentrada principalmente na Ásia, onde cerca de 80 milhões de pessoas deixaram de sofrer de fome este ano. Sub-Sahariana a queda foi muito menor, cerca de 12 milhões de euros, e um em cada três pessoas no continente continua a ser desnutridos.
Fatos Importantes
Outros dados relevantes incluídas no relatório são os seguintes:
- Dois terços dos subnutridos no mundo estão concentrados em sete países: Bangladesh, China, República Democrática do Congo, Etiópia, Índia, Indonésia e Paquistão.
- A região com maior número de pessoas subnutridas continua a ser a Ásia eo Pacífico, com 578 milhões de euros.
- A maior proporção de pessoas subnutridas na África sub-sahariana continua a existir, com 30 por cento da população, o equivalente a 239 milhões de pessoas.
- Progress variam muito em cada país. Entre 2005 e 2007 (o período mais recente para o qual estão disponíveis dados completos), Congo, Gana, Mali e Nigéria quase capaz de atingir os ODM em uma sub-saariana, enquanto a Etiópia e outros países também estão perto disso. No entanto, o percentual de desnutridos chegou a 69 por cento da população da República Democrática do Congo.
- Na Ásia, a Arménia, Myanmar e Vietnã já alcançaram o ODM 1, enquanto a China está perto de atingir este objectivo.
- Na América Latina e no Caribe, Guiana, Jamaica e Nicarágua tenham alcançado os ODM 1 e Brasil está chegando a este objetivo.

domingo, 12 de setembro de 2010